Onda de ataques mata mais de 30 em Bagdá

Rebeldes lançaram dois grandes ataques contra uma mesquita xiita e uma delegacia de polícia em Bagdá, matando 30 pessoas, sendo pelo menos 16 policiais, no ataque mais letal desfechado em semanas pela insurgência. No norte do país, tropas americanas e iraquianas enfrentaram guerrilheiros na cidade de Mossul, deixando pelo menos 11 mortos, informam comandantes iraquianos.O grupo Al-Qaeda no Iraque, do terrorista jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, reivindicou a autoria do atentado contra a delegacia em Bagdá. A reivindicação, divulgada via internet, não pôde ser confirmada. No atentado, a delegacia primeiro sofreu uma barragem de granadas propelidas por foguetes, antes que os guerrilheiros invadissem o local, matando policiais, roubando armas, libertando detentos e ateando fogo a viaturas. O ataque à mesquita xiita ocorreu no bairro de Azamiyah, um reduto sunita. A polícia diz que um carro-bomba explodiu diante da Mesquita Hameed al-Najar, matando 14 pessoas e ferindo 19. Azamiyah era uma região de forte apoio ã ditadura de Saddam Hussein. Não está claro qual grupo realizou o ataque, mas o imã sunita de uma mesquita próxima condenou o atentado.O grupo de Al-Zarqawi diz ter atacado uma segunda delegacia de polícia no mesmo bairro da mesquita destruída, Azamiyah, mas não há informes de baixas nessa agressão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.