Onda de atentados mata mais dois na Rússia

Um homem-bomba atacou hoje uma delegacia de polícia na província da Ingushetia, na Rússia. A explosão provocou a morte de dois policiais e deixou outros dois agentes feridos. O carro do suicida explodiu meia hora depois, ferindo mais um investigador. O ataque ocorreu na sede da polícia na cidade de Karabulak, segundo o promotor regional Yuri Turygin.

AE-AP, Agência Estado

05 de abril de 2010 | 10h23

A Ingushetia é uma província de maioria muçulmana, na empobrecida zona do norte do Cáucaso, no sudoeste russo. A Ingushetia, o Daguestão e outras províncias do Cáucaso enfrentam ataques de militantes islâmicos, que se espalharam pela região após duas guerras separatistas na vizinha Chechênia.

A violência cada vez mais é descrita como uma guerra civil, opondo, de uma lado, as administrações apoiadas pelo Kremlin e, do outro, os rebeldes islâmicos. Os abusos generalizados dos policiais contra os civis, incluindo sequestros, torturas e homicídios, fizeram com que muitos se tornassem militantes nessa região.

No Daguestão, que fica entre a Chechênia e o Mar Cáspio, houve atentados com dois suicidas, na quarta-feira, que mataram 12 pessoas, a maioria policiais. Outra explosão ali no dia seguinte matou dois supostos militantes. Ontem, houve duas poderosas explosões que descarrilaram um trem de carga, mas sem deixar feridos.

Uma semana antes, duas suicidas mataram 40 pessoas e feriram 121 no metrô de Moscou, no primeiro atentado terrorista na capital russa desde 2004. As autoridades russas atribuem o ataque a militantes do norte do Cáucaso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.