Onda de atentados mata sete pessoas na Colômbia

Uma onda violência deixou sete pessoas mortas e 40 feridas nesta segunda-feira em diversas regiões da Colômbia, no momento que o presidente Álvaro Uribe negocia novas medidas para tentar conter a violência no país.Em Arauca, na fronteira com a Venezuela, pelo menos dois policiais morreram e dez civis ficaram feridos na explosão de um carro-bomba, horas antes da visita de Uribe a cidade. As autoridades acusaram as Forças Revolucionarias da Colômbia (Farc) e o Exército de Libertação Nacional (ELN) pelo atentado. No centro da cidade de Chalan, a explosão de uma bomba matou dois militares. No início da noite, na zona rural de César, norte do país, três soldados morreram e outros cinco ficaram feridos na explosão de uma mina terrestre. Durante a manhã, na cidade de Barranquilla, próximo a Universidade do Atlântico, uma bomba deixou pelo menos 20 pessoas levemente feridas, e no município de Palmitos, outra explosão também não registrou feridos.Arauca, capital do departamento de petróleo, Chalan e Palmitos fazem parte das zonas especiais de segurança, que estão sob proteção do Exército, criadas no mês passado pelo presidente Uribe para combater os grupos armados ilegais. No último fim de semana, pelo menos 40 pessoas morreram entre militantes das Farc, do Exército de Libertação Nacional (ELN), paramilitares de extrema direita, policiais e civis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.