B.K. Bangash/AP
B.K. Bangash/AP

Onda de calor deixa mais de 200 mortos no Paquistão

Maioria das vítimas morava na cidade de Karachi, capital da Província de Sindh; autoridades decretam estado de emergência e pedem que corpos sejam enterrados rapidamente

O Estado de S. Paulo

22 de junho de 2015 | 16h07

ISLAMABAD - Pelo menos 224 pessoas morreram desde sábado em razão de uma onda de calor que afetou, principalmente, à província de Sindh, no sul do Paquistão, onde as temperaturas atingiram 45 graus, informou nesta segunda-feira, 22, as autoridades de saúde do país.

Autoridades declararam estado de emergência em Karachi, a capital da província e centro econômico do país, depois de a rede de eletricidade entrar em colapso e corpos se amontoarem nos necrotérios. Os hospitais registraram um alto número de mortes por excesso de calor e desidratação, principalmente em idosos.

"Ontem (domingo) tivemos 85 mortes e hoje outras 50", disse a diretora do Centro Médico Jinnah (JPMC), Seemin Jamali. No Hospital Civil de Karachi, o número de vítimas subiu nesta segunda para 37, segundo o superintendente do centro médico, Saeed Qureshi. Por sua vez, o Hospital Abbasi Shaheed registrou 30 mortes no domingo e 14 nesta segunda, de acordo com o responsável pelo local, Imran Samdani.

O secretário de Saúde do governo regional de Sindh, Saeed Mangnejo, informou que nos demais pontos da província foram registradas oito mortes.

Corpos não identificados estão rapidamente cremados para abrir espaço nos necrotérios, de acordo com Anwar Kazmi, funcionário da Fundação Edhi, uma entidade beneficente. "Estamos pedindo que as pessoas enterrem seus mortos o mais rapidamente possível, tendo em vista a onda de calor atual e a situação energética ruim."

Em comunicado, a Comissão de Direitos Humanos do Paquistão disse estar em alerta e pediu a intervenção urgente das autoridades para evitar mais vítimas. Os hospitais de Karachi estão trabalhando em sistema de emergência e as férias dos profissionais foram suspensas.

De acordo com o porta-voz do Departamento de Meteorologia do Paquistão, Muhammed Hanif, está previsto que o calor continue durante os próximos dois dias e que as chuvas só cheguem na noite de terça-feira, o que diminuirá as temperaturas.

As ondas de calor são frequentes na região nos meses de maio e junho, época que precede à chegada das chuvas. / EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoonda de calor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.