Onda de calor e incêndios fazem vítimas na Europa

Rajadas de ar quente que atravessam a Europa obrigaram hoje as autoridades francesas a esguicharem água fria nas paredes de um reator nuclear e forçaram operadores de tráfego ferroviário a parar alguns trens, devido a temores de que os trilhos viessem a se deformar.Enquanto isso, sobe cada vez mais o número de vítimas de persistentes incêndios florestais na França, na Espanha e em Portugal. As chamas intensificam-se ainda mais em meio ao calor, aos fortes ventos e à seca.O governo português decretou nesta segunda-feira estado de calamidade pública ao mesmo tempo em que cerca de 3.000 membros do corpo de bombeiros lutavam para conter o mais grave incêndio florestal ocorrido no país em décadas. Pelo menos nove pessoas morreram, somente em Portugal.Os fortes ventos e a onda de calor impulsionam as chamas, que destruíram vastas áreas de florestas de pinheiros e eucaliptos no centro e no norte de Portugal. Há previsões de temperaturas ainda mais altas nos próximos dias. Uma série de incêndios deixou quatro mortos na Riviera Francesa enquanto outro homem morreu na Córsega, quando tentava apagar um incêndio em sua propriedade. As temperaturas superaram os 40ºC em algumas partes da França nesta segunda-feira, mas especialistas dizem que o pior ainda pode estar por vir."Durante os próximos dias, a máxima de 41ºC (registrada em Bordeaux em 21 de junho e hoje em Castelsarrazin) será igualada e possivelmente superada", disse Dominique Escale, da Meteo France, o serviço nacional de meteorologia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.