Onda de calor mata 36 no Paquistão

Uma forte onda de calor matou pelo menos 36 pessoas no Paquistão durante o final de semana, informaram médicos e a polícia nesta segunda-feira. Em algumas partes do país, as temperaturas chegaram a 50º C. O calor sufocante é um sinal de azar para o resto do ano no Paquisão e um desastre para a província de Sindh, que foi a mais atingida pelo calor.Devastado por uma das piores secas dos últimos tempos, o rio Indo, principal fonte de água da comunidade rural paquistanesa, chegou a secar em algumas áreas. A falta de água arruinou plantações e contribuiu para o alto índice de mortalidade, disse Saeed Ahmed Somroo, um professor da Universidade de Sindh.O Paquistão também perderá milhões de dólares em receitas com agricultura, em função das plantações de trigo e algodão, que foram muito prejudicadas pelas altas temperaturas. Em algumas partes de Sindh, não chove há mais de um ano. "Nós estamos rezando pela chuva", disse Sabeen Hasan, um estudante da Universidade de Sindh. "Esse calor se tornou uma tortura."Pelo menos 30 pessoas, muitas crianças, morreram em Sindh pelo calor intenso e por desidratação. Muitas outras pessoas foram hospitalizadas, informaram oficiais em Karachi. A área mais quente do país está localizada no interior da província de Sindh - a maioria das mortes foi registrada nessa região.

Agencia Estado,

07 de maio de 2001 | 09h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.