EFE/Jagadeesh Nv
EFE/Jagadeesh Nv

Onda de calor no sudeste da Índia já matou mais de mil

Andhra Pradesh e Telangana são os Estados mais afetados, com 884 mortes; governo pagará US$ 1,5 mil para as famílias das vítimas

O Estado de S. Paulo

27 de maio de 2015 | 09h51

NOVA DÉLHI - Pelo menos 1.150 pessoas morreram em uma semana em razão da onda de calor que atinge, principalmente, os Estados de Telangana e Andhra Pradesh, no sudeste da Índia, segundo informações de fontes oficiais do governo indiano.

Andhra Pradesh é o Estado mais afetado pela onda de calor, onde de acordo com uma porta-voz do departamento de Gestão de Desastres da região, Tulsi Rani. Na região morreram 884 pessoas, sobretudo nos distritos litorâneos de Guntur e Visakhaptnam.

Sa'adah Bhargavi, porta-voz do departamento de Gestão de Desastres de Telangana, o outro Estado mais afetado, afirmou que o número de pessoas que morreram na região relacionadas às altas temperaturas é de 266.

Segundo explicou à agência EFE um membro da seção de Desastres de Telangana, B.R. Meena, a maioria das vítimas na região estavam na rua durante as horas mais quentes do dia e muitos eram pessoas que fazem trabalhos por um dia e morreram desidratados.

As autoridades desses Estados iniciaram campanhas para conscientizar a população a fim de que as pessoas saibam que é preciso se hidratar e procurar ficar em suas casas nos momentos de maior intensidade do calor. O governo de Andhra Pradesh anunciou, além disso, compensações de US$ 1,5 mil para as famílias dos mortos.

A onda de calor que afeta a região ocorre por conta da confluência de um "ar seco" do noroeste e uma área de pressão atmosférica relativamente baixa no leste, segundo o centro meteorológico de Hyderabad (capital compartilhada de ambos Estados).

Os Estados orientais de Bengala e Odisha também foram afetados pela onda de calor. Nas duas regiões, pelo menos 36 pessoas morreram , segundo publicou o jornal local indiano "FirstPost".

Durante a última semana as temperatura em toda a Índia dispararam, sobretudo na faixa que cruza o país do noroeste a leste, onde foram registradas temperaturas acima dos 40 graus centígrados. A iminente chegada das chuvas de monção deve faze com que as temperaturas caiam levemente. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.