Onda de calor obriga França a poupar eletricidade

A empresa de energia elétrica francesa pediu nesta terça-feira aos usuários que consumam menos eletricidade depois de várias usinas serem obrigadas a cortar sua produção durante a maior onda de calor que atingiu a Europa, provocando incêndios florestais e matando dezenas de pessoas. Com a temperatura das águas dos rios se elevando a índices recordes, várias usinas hidrelétricas algumas diminuíram sua produção e seis delas tiveram que interrompê-la. As plantas são controladas por regulamentações que limitam o grau de calor da água que pode ser aproveitada dos rios. A temperatura permaneceu por dias seguidos entre 30 e 40 graus centígrados em vários países. Em alguns lugares, o calor superou todos os recordes. A Sociedade Italiana de Meteorologia disse que o calor em Turim chegou a 41, 6 graus centígrados na seguda-feira - o dia mais quente na cidade em 250 anos. Em toda a Europa, pelo menos 45 pessoas tiveram mortes relacionadas com o calor, as cínco últimas na Espanha, onde cinco pessoas morreram num incêndio florestal. Além disso, um médico especialista denunciou na França que pelo menos 50 idosos tiveram como causa de seu falecimento doenças relacionadas com as altas temperaturas - o que, se for comprovado, duplicará o número de vítimas do calor europeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.