'Onda' de divórcios põe pressão sob mulheres no Tadjiquistão

Trabalhadores tadjiques na Rússia muitas vezes se separam por telefone de suas esposas.

BBC Brasil, BBC

15 de outubro de 2012 | 16h43

Com 33 anos e quatro filhos, a vida de Gulhumor no interior do Tadjiquistão já era difícil. E ficou ainda mais dura depois que seu marido pedir o divórcio - por telefone.

O país é uma das poucas nações muçulmanas em que os homens, para se divorciar, precisam apenas repetir a palavra "taloq" (divórcio) três vezes. E isso pode ser feito pessoalmente, pelo telefone ou simplesmente enviando uma mensagem.

E apesar de a prática ter sido proibida no ano passado, ela continua sendo usual no país.

Gulhumor conta que o marido trabalhava na Rússia por períodos de até um ano, depois voltava e passava alguns meses em casa. Só que mandava para os pais a maior parte do dinheiro que recebia.

Na tradição do Tadjiquistão, mulheres como Gulhumor não são dignas de solidariedade. No país, a mulher é sempre culpada pelo divórcio.

Talvez por isso, tantas mulheres se encontrem na mesma situação que ela. O problema é tão grave que uma ONG local dá aulas sobre os direitos das esposas abandonadas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.