James Neiss/The Niagara Gazette via AP
James Neiss/The Niagara Gazette via AP

Onda de frio mata ao menos 17 nos EUA e faz nevar na Flórida

Baixa temperatura que atinge Costa Leste é causada por massa de ar do Polo Norte; temperaturas devem cair ainda mais nos próximos dias com chegada de tempestade Grayson

O Estado de S.Paulo

03 Janeiro 2018 | 22h01
Atualizado 04 Janeiro 2018 | 12h09

Flórida - Uma das piores ondas de frio em três décadas nos Estados Unidos deixou ao menos 17 mortos em 5 Estados americanos, congelou fontes e rios, deixou em estado de alerta toda a Costa Leste do país e fez nevar em cidades do Texas e da Flórida, onde o fenômeno raramente acontece. O cenário deve piorar ainda mais a partir desta quinta-feira, dia 4, com a chegada da tempestade de inverno Grayson. 

+ O que o frio nos Estados Unidos tem a ver com aquecimento global?

A tempestade, descrita por meteorologistas como “monstruosa”, deve trazer ventos de até 100 km/h e nevascas de 30 centímetros a regiões pouco acostumadas ao frio. O fenômeno está sendo comparado ao furacão Sandy, que em 2012 deixou 233 mortos no nordeste do país.

+ Diante da onda de frio extremo nos EUA, Trump ironiza ‘o bom e velho’ aquecimento global

Entre domingo e quarta-feira, uma frente fria vinda do Polo Norte provocou frio extremo, que atingiu várias cidades da Costa Leste e se estendeu a outras regiões. As temperaturas no Alasca estavam ao menos três graus Celsius maiores do que em cidades na Flórida e no Texas. Seis mortes foram registradas em Wisconsin, cinco no Texas, duas em Dakota do Norte, duas no Missouri e duas em Michigan. 

No Texas, o frio trouxe a neve incomum, que provocou vários acidentes em razão das pistas cobertas de gelo. Na Flórida, uma precipitação em forma de gelo paralisou cidades pouco acostumadas com o frio. Em Tallahassee, pessoas fizeram bonecos de neve nas ruas. Em Pensacola, as fontes de água se transformaram em esculturas de gelo. 

As universidades estaduais A&M e da Flórida ficaram fechadas. O frio também causou o fechamento temporário de vários parques aquáticos em Orlando, incluindo o Sea World.

As temperaturas em praticamente todo o país estão entre 11 e 17 graus Celsius abaixo da média. Em Aberdeen, em Dakota do Sul, as temperaturas chegaram a -36ºC no primeiro dia do ano, um recorde de 99 anos. No Estado de Nebraska, o frio foi de -26ºC no domingo, quebrando um recorde registrado em 1884. Em Massachusetts, tubarões apareceram mortos congelados nas praias. Em Chicago, as temperaturas atingiram -37ºC e levaram as autoridades do Estado de Illinois a alertar para o risco de hipotermia para quem estivesse nas ruas.

Trump ameaça cortar ajuda financeira americana a territórios palestinos

As previsões indicam que o clima deve piorar nos próximos dias. Segundo o Weather Channel, um sistema de baixa pressão está se intensificando na Costa Leste, o que facilita a entrada do frio vindo do norte e fortalece os ventos. As temperaturas devem continuar caindo em todo o continente, em uma área que vai do sul do Texas ao Canadá.

O fenômeno que pode piorar o clima é causado pela queda abrupta da pressão atmosférica, ou “bombogênese”. “Quando uma queda de pressão assim ocorre, causa uma tempestade explosiva”, explica o Weather Channel. “No caso do Grayson, pode ser a maior queda abrupta da história das tempestades de inverno.” / AFP, AP, e WPOST

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.