Onda de greves paralisa país e afeta Evo Morales

A Bolívia está paralisada depois de sete semanas de conflitos trabalhistas e sociais, com greves e manifestações que contribuem para desestabilizar o governo do presidente Evo Morales, acusado de ser "incapaz" de solucionar o problema. O líder da Central Operária Boliviana (COB), Juan Carlos Trujillo, disse que se Evo continuar sem responder às demandas dos sindicatos, as manifestações serão "radicalizadas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.