Onda de imigrantes tunisianos faz Itália declarar 'emergência humanitária'

Fluxo de imigração se multiplicou após crise política que culminou com queda de presidente.

BBC Brasil, BBC

12 de fevereiro de 2011 | 21h30

O governo italiano declarou, neste sábado, situação 'emergência humanitária' no país, após cerca de 3 mil imigrantes tunisianos chegarem ao país nos últimos dias.

A medida permite a liberação de fundos especiais e a contratação de funcionários para lidar com a situação.

Autoridades afirmaram que o fluxo de imigrantes da Tunísia se multiplicou com a crise que culminou com a saída do presidente Zine Al-Abidine Ben Ali, em 14 de janeiro.

A agência de refugiados da ONU confirmou que alguns imigrantes estão em busca de asilo político, enquanto outros estão fugindo da pobreza.

A maioria dos imigrantes tenta chegar à Itália em pequenas embarcações, que são interceptadas pela guarda costeira.

Centros de detenção

O governo italiano afirmou que os tunisianos conseguiram chegar à ilha de Lampedusa nos últimos três dias, lotando os abrigos existentes no local. A ilha fica mais perto do norte da África do que da Itália.

Balsas e aviões foram colocados em operação para transportar os imigrantes para centros de detenção na Sicília e em outros locais no sul da Itália, para que suas identidades pudessem ser checadas.

Na sexta-feira, o ministro do interior da Itália, Roberto Maroni, disse que era possível que terroristas e criminosos comuns tentassem se aproveitar da confusão para entrar na Europa.

Maroni solicitou que a Frontex, a agência que cuida da segurança de fronteiras da União Europeia, enviasse patrulhas para a região.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
italiatunisaimigrantescrise politica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.