Onda de incêndios na Galícia é controlada

A ausência de ventos, a queda de temperaturas e a redução da atividade incendiária estão contribuindo para o fim da onda de incêndios que varreu a região da Galícia, no norte da Espanha. O governante da Galícia, Emílio Pérez Touriño, considera que a crise está superada e que agora começa uma nova fase de avaliação dos danos e de recuperação do território queimado. Estima-se que os 14 focos de incêndio ainda ativos sejam apagados antes de que haja chuvas. No início do mês, o número de incêndios superava uma centena.Nesta terça-feira, foram registrados 68 focos de incêndio, mas a maioria se concentrava na província de A Coruña. Outros focos concentram-se em Lugo, Pontevedra e Ourense; sendo que nenhum deles representa perigo. Isso porque agora os incêndios são menores e mais fáceis de controlar do que no começo de agosto. Ao longo desta noite, os membros da brigada de combate aos incêndios concentram-se em encharcar a terra para que a água penetre mais profundamente no solo, já que ocasionalmente as chamas se preservam dentro da terra. Na segunda-feira, 149 focos de incêndio foram controlados ou apagados. A chuva, prevista para a manhã de quarta-feira, poderá pôr um ponto final ao fogo.A população da Galícia anunciou nesta terça-feira que solicitará a criação de uma comissão de investigação junto ao Parlamento para analisar as causas dos incêndios que arrasaram terras nas quatro províncias, avaliar os danos e exigir as responsabilidades políticas na questão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.