Onda de violência deixa 56 mortos no Iraque

Bombas explodiram em mais de doze cidades iraquianas nesta segunda-feira, matando 56 pessoas, a maioria na cidade de Kut, no sul do país. A onda de violência prejudicou o que até então era um relativamente calmo mês sagrado do Ramadã.

AE, Agência Estado

15 de agosto de 2011 | 10h37

A violência, que abrangeu uma área que vai da cidade de Kirkuk, no norte, até a capital Bagdá e cidades xiitas no sul como Najaf, Kut e Kerbala, destaca a persistente capacidade dos insurgentes de causar estragos num momento em que autoridades iraquianas avaliam se têm capacidade para proteger o país sem a assistência das tropas norte-americanas.

As explosões foram coordenadas para acontecer de manhã e incluíram uma combinação de carros-bomba, bombas à margem de estradas e um suicida que atacou uma delegacia de polícia com um carro.

A abrangência da violência - sete explosões ocorreram em cidades diferentes apenas na província de Diyala - deixa clara a capacidade dos insurgentes de coordenar e realizar ataques apesar da repressão das forças iraquianas e norte-americanas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolênciaataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.