Onda de violência mata 40 no Afeganistão

Aviões da Otan teriam atingido cerimônia de casamento, deixando 18 civis mortos

CABUL, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2012 | 04h23

Pelo menos 45 afegãos morreram e 69 ficaram feridos ontem em 6 incidentes separados, no dia mais sangrento em vários meses no Afeganistão. Na Província de Logar, sudeste do país, jatos da Otan teriam acertado em cheio uma cerimônia de casamento, segundo autoridades locais e testemunhas, matando 18 pessoas. Em Kandahar, principal cidade do sul do Afeganistão e reduto do Taleban, 2 homens-bomba deixaram 25 mortos.

A Otan anunciou ainda a morte de dois de seus soldados na queda de um helicóptero no leste do Afeganistão. As causas do acidente estão "sob investigação", segundo a aliança ocidental. Autoridades de Cabul, porém, declararam que a aeronave foi abatida por insurgentes.

O bombardeio ao casamento em Logar teria matado 18 pessoas, incluindo mulheres e crianças. "Eram todos civis", disse o governador da província, Tahir Khan Sabri, à Reuters.

A tragédia deve acirrar ainda mais as tensões entre o comando militar ocidental e o governo de Hamid Karzai, enquanto os EUA e seus aliados preparam-se para iniciar a transição do controle da segurança para os afegãos. Hoje com 130 mil homens em território afegão, Washington quer encerrar totalmente sua presença no país até 2014.

Segundo o governador de Logar, Karzai ordenou uma investigação paralela para apurar o que teria feito os aviões da aliança atacarem a cerimônia de casamento. A Otan disse estar buscando "muito seriamente" esclarecimentos sobre o caso.

Civis na mira. Em Kandahar, o Taleban reivindicou a autoria de um ataque duplo contra um mercado perto de uma base americana. Dois homens-bomba detonaram os explosivos que carregavam com poucos minutos de diferença, matando na hora 22 pessoas e deixando mais de 50 feridos.

Karzai afirmou que o fato de os insurgentes terem escolhido um alvo civil demonstra que o Taleban está perdendo fôlego. "O inimigo está matando inocentes porque está cada vez mais fraco", disse o presidente.

Logo após assumir a Casa Branca, o presidente Barack Obama determinou o reforço das tropas de combate no Afeganistão, com o envio de mais 30 mil homens para o front. Obama também determinou uma ofensiva ampla na região sul do país, onde o Taleban concentra suas forças. A estratégia conseguiu reduzir o poder de fogo dos insurgentes, mas militantes continuam a lançar ataques pontuais, capazes de espalhar temor entre a população e levantar dúvidas sobre a estabilidade do Afeganistão.

Outros incidentes foram registrados no norte e leste do país. Em uma festa na Província de Balkh, militantes do Taleban abriram fogo, deixando pelo menos dois mortos e dois feridos. Perto dali, em Chimtal, um soldado afegão morreu tentando desativar uma mina. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.