Ondas gigantescas provocadas por tufão cercam pescadores na China

Mais de 100 pescadores a bordo de cerca de 40 navios estão presos entre as gigantescas ondas provocadas pelo tufão Prapiroon no litoral da região autônoma de Guangxi, no sul da China, informou nesta sexta-feira a agência estatal de notícias Xinhua.O tufão perdeu a força e se transformou em tempestade tropical. Mesmo assim, as equipes de emergência, formadas por agentes da Guarda Costeira e da Marinha, não conseguiram resgatar os marinheiros devido à força das ondas e dos ventos.Os pesqueiros se encontram a distâncias de centenas a milhares de metros do porto de Beihai, cujo cais está cheio de navios, acrescentaram fontes do departamento de assuntos marítimos local. As autoridades pediram uma listagem dos navios desaparecidos e determinaram que sejam feitas tentativas de contato com eles a cada hora. A recomendação é de não poupar esforços para salvar os pescadores.O Prapiroon, sexto tufão a chegar à costa chinesa este ano, atingiu na quinta-feira as províncias de Cantão e Hainan, de onde se deslocou rumo a Guangxi, obrigando a remoção de mais de 400 mil pessoas. A influência do Prapiroon chegou a Hong Kong, onde 800 vôos foram afetados e 3 mil passageiros ficaram presos nos aeroportos.As previsões iniciais eram de que os efeitos do Prapiroon poderiam ser piores que os do Bilis, que em julho fez mais de 600 mortes. O Ministério de Assuntos Civis emitiu um comunicado de emergência, orientando os departamentos locais acompanharem de perto a trajetória do tufão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.