Denise Chrispim, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2011 | 00h00

A ONG Human Rights Watch (HRW), de defesa dos direitos humanos, divulga hoje um relatório no qual acusa o ex-presidente americano George W. Bush e seus principais colaboradores na área de segurança nacional de crimes de guerra e tortura.

De acordo com a HRW, Bush admitiu duas vezes ter aprovado o uso de "waterboarding" (afogamento), além de ter autorizado a transferência de detidos para o Egito e para a Síria, para serem submetidos a tortura. "Se os EUA não cumprem com sua obrigação jurídica, os demais países membros da Convenção da ONU contra a Tortura devem ser mais ativos", disse ao Estado o conselheiro da entidade Reed Brody, autor da pesquisa.

Para a ONG, o ex-vice-presidente Dick Cheney foi a "principal força por trás do governo" na adoção de medidas de exceção. O ex-secretário de Defesa Robert Rumsfeld e o ex-diretor da CIA George Tenet também foram criticados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.