ONG alerta para possibilidade de guerra civil na Tailândia

Em relatório, entidade alerta para agravamento do conflito entre o governo e os 'camisas vermelhas'

Efe,

01 Maio 2010 | 08h20

A continuidade da crise política da Tailândia, que se agrava por conta da queda-de-braço que o Governo mantém com os manifestantes que querem sua queda, pode acarretar "uma guerra civil não declarada", advertiu a ONG Grupo Internacional Crise (ICG).

 

Em relatório, a ONG, especializada na análise de conflitos e sua resolução, destaca que o conflito nas ruas de Bangcoc entre o governo e os "camisas vermelhas" piora.

 

Os enfrentamentos travados entre as forças de segurança e os manifestantes causaram 27 mortos e mais de mil feridos, desde que, há sete semanas, foram retomados os protestos para exigir a dissolução do Parlamento e eleições antecipadas.

 

"O número de mortes pode aumentar bruscamente se os militares desalojarem aos milhares de manifestantes acampados no centro da capital", avisa a organização no relatório publicado na noite desta sexta-feira.

 

O número de manifestantes entrincheirados em seu acampamento, situado em região que abriga alguns dos mais luxuosos hotéis e shoppings de Bangcoc, oscila agora entre mil e cinco mil, abaixo dos dez mil de algumas semanas.

 

Os "camisas vermelhas" da Frente Unida para a Democracia e contra a Ditadura, provêm em sua maioria das zonas rurais do norte e noroeste do país, regiões de maior densidade demográfica e redutos dos testas-de-ferro do ex-líder Thaksin Shinawatra, deposto em 2006 e declarado à revelia a dois anos de prisão por corrupção.

 

Exilado e foragido da justiça tailandesa, o multimilionário Shinawatra, coordena e financia os projetos em seu exílio em local desconhecido.

Mais conteúdo sobre:
Tailândia crise política guerra civil ONG

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.