ONG americana denuncia prisão de xeque e ativista dos direitos humanos

Ele foi detido por 12 horas ao desembarcar no aeroporto de Manana, no Bahrein, acusado de "incitar o ódio contra o regime"

O Estado de S. Paulo

11 de agosto de 2015 | 03h00

O ativista bahreinita e especialista da Columbia Freedom of Expression (ligada à Columbia University, nos EUA) Maytham Al Salman, que ajuda a organização a monitorar casos em tribunais de países do Golfo Pérsico, foi preso no sábado, dia 8, e acusado de “incitar o ódio contra o regime”. 

Ele foi detido por 12 horas ao desembarcar no aeroporto de Manana, no Bahrein, após retornar de missões na Tunísia e no Marrocos. Apesar de ter sido liberado, ele foi indiciado e proibido de deixar o país. A organização emitiu um comunicado pedindo a liberação de Salman, um respeitado e reconhecido xeque. 

Segundo a Columbia, as acusações contra ele são graves e normalmente aplicadas contra ativistas ou jornalistas que relatam casos de abusos de direitos humanos no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.