EFE/Atef Safadi
EFE/Atef Safadi

ONG israelense publica livro no 50º aniversário da ocupação

A BTS foi duramente criticada pelos setores mais conservadores da política israelense, que acusam a organização de'traição' por passar uma imagem negativa do Exército

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 15h01

JERUSALÉM - A ONG Breaking the Silence (BTS), formada por soldados e ex-soldados israelenses contrários a ocupação, publica nesta terça-feira o livro Kingdom of Olives and Ash (ainda sem título em português), em que 14 escritores, entre eles o Nobel de Literatura Mario Vargas Llosa, debatem a ocupação.

"O modelo que seguimos é o do livro de David Grossman, "O vento amarelo: retrato da Palestina ocupada", no qual um jovem Grosman, de 34 anos, relatou em 1987 suas observações nos territórios ocupados" e os prejuízos que a ocupação produz nos ocupados e nos ocupantes. Não queríamos que os 50 anos de ocupação passem despercebidos, por isso o livro é publicado hoje" explicou à Agência EFE o porta-voz da organização, Yehuda Shaul.

O livro foi editado pelos famosos escritores israelenses Michael Chabon e Ayelet Waldman. O conhecimento prévio da região levou a dupla a convidar outros 12 nomes do cenário internacional para conhecer Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental e depois relatar suas experiências.

Os seus textos foram reunidos no volume que será apresentado oficialmente no próximo dia 18 em Jerusalém, no dia seguinte em Haifa e no dia 22 em Tel-Aviv.

A BTS foi duramente criticada pelos setores mais conservadores da política israelense, que acusam a organização de "traição" por passar uma imagem negativa do Exército, acusá-lo de crimes e publicar depoimentos que podem colocar em risco seus soldados perante tribunais estrangeiros que apliquem a jurisdição universal. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Israel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.