ONG pede à China compromisso com direitos humanos

A China deve passar das palavras aos fatos e acabar com a constante violação dos direitos humanos no país, já que foi escolhida para ser um dos países membros do novo Conselho de Direitos Humanos da ONU, informou nesta quarta-feira o grupo Human Rights in China (HRIC)."Chegou a hora de sair da retórica e demonstrar um compromisso real com os direitos humanos", disse a diretora-executiva do HRIC, Sharon Hom, em comunicado enviado à imprensa. "Pode começar em casa, respeitando a liberdade de expressão e promovendo vozes independentes na sociedade civil", acrescentou.Na sua opinião, a votação das Nações Unidas foi só o princípio e a prova real virá quando a China e os outros membros do Conselho se comprometerem "ativa, transparente e extensivamente" no processo de revisão dos direitos humanos.O HRIC mostrou sua preocupação com a inclusão da China no Conselho, denunciando "detenções e outras formas de perseguição de dissidentes políticos, praticantes religiosos, jornalistas, advogados e ativistas não oficiais" no país.Além disso, a posição chinesa de que os países podem ter opiniões divergentes quanto aos direitos humanos devido a diferenças culturais e históricas "ignora a sua universalidade e indivisibilidade".O novo órgão da ONU, que substitui a extinta Comissão de Genebra, terá outros 46 países. Sua composição foi decidida por votação na sede das Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.