ONG pede a libertação de 100 ativistas egípcios

A organização Human Rights Watch (HRW) pediu a libertação imediata de cerca de 100 ativistas egípcios detidos nos últimos dez dias, por protestar pacificamente contra o governo e a recém-renovada Lei de Emergência.A HRW afirma em comunicado que a maior parte dos detidos participava de manifestações pacíficas de apoio aos juízes que enfrentam o governo, numa disputa pela independência dos órgãos judiciais.Uma minoria pertence ao grupo Irmãos Muçulmanos, que, apesar de ilegal, conta com 88 representantes no Parlamento. Os manifestantes protestavam contra a prorrogação por dois anos da Lei de Emergência, vigente desde 1981, que restringe direitos civis, além de permitir a detenção sem acusações."O destacamento de milhares de policiais para sufocar os protestos mostra claramente que o presidente Hosni Mubarak não tem nenhuma tolerância", denuncia Joe Stork, vice-diretor para o Oriente Médio da HRW.Stork cita testemunhas que descreveram como a polícia não se limitou a deter os manifestantes, mas também fez uso da violência contra vários deles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.