ONG pede investigação de morte de jornalista paquistanês

Um grupo internacional de direitos exigiu que as autoridades paquistanesas investiguem a morte de um jornalista morto na capital no que a polícia disse, nesta quinta-feira, 2, ter sido um ataque premeditado. O corpo de Malik Mohammed Ismail, 54, chefe do escritório em Islamabad da agência de notícias Pakistan Press International, foi achado na quarta-feira última, um dia após ele deixar seu cargo. Ismail, que foi jornalista por 30 anos, foi golpeado na cabeça e seu corpo foi jogado em uma área deserta não muito distante de seu escritório. Não está certo por que Ismail pode ser sido atacado. O jornalismo foi enterrado em sua cidade natal de Attock nesta quinta. O Comitê de Proteção a Jornalistas, com sede em Nova York, exigiu uma "imediata investigação de alto nível" sobre a morte do paquistanês em uma declaração no fim da quarta-feira, 31.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.