Ongs e pacifistas convocam protesto contra o apoio a Bush

Organizações não-governamentais (Ongs) e pacifistas de todo o mundo já começaram a reagir contra a iniciativa de oito países europeus em apoiar os Estados Unidos contra o regime de Saddam Hussein no Iraque. Hoje, as entidades convocaram um protesto nas principais capitais mundiais no dia 15 de fevereiro para mostrar que a sociedade civil não está de acordo com guerra no Iraque.O objetivo das Ongs será reunir mais de um milhão de pessoas por todo o mundo, que possam dizer não à guerra. As entidadesainda pretendem mostrar que, mesmo nos países que assinaram adeclaração de apoio à guerra, a população não está legitimandoseus governos.Em Berna, capital da Suíça, cerca de cem entidades vão lembrarque a busca por petróleo não pode justificar mortes. Em Londres,a previsão é de que o primeiro-ministro, Tony Blair, seja o alvodos protestos. Os ativistas vão tentar mostrar que o principalaliado dos Estados Unidos na Europa não conta com o apoio de sua população.Uma das entidades que organiza o protesto, a United for Peace,alerta que os eventos ocorrerão também em Nova York e em SãoFrancisco, nos Estados Unidos.Em Lisboa, uma petição está sendo elaborada e já tem asassinaturas de Mário Soares, ex-chefe de Estado de Portugal, e oescritor José Saramago.Hoje, assim que os governos da Espanha, Inglaterra, Portugal,Itália, Polônia, República Checa, Dinamarca e Hungria lançaram o comunicado de apoio à Casa Branca, as Ongs iniciaram umacampanha pela Internet para convocar ativistas para asdemonstrações de 15 de fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.