Ônibus destruído em Israel transportava militares

Apesar do extraordinário esquema de segurança adotado pelas autoridades israelenses, um carro-bomba, ocupado por um ou dois palestinos, aproximou-se hoje da traseira de um ônibus no norte de Israel e explodiu causando a morte de 16 pessoas (incluindo os atacantes) e ferimentos em 45. O ônibus lotado - em grande parte de soldados - parou num ponto em Karkur Junction, perto da cidade litorânea de Hadera, na região norte do país. Nesse instante, o carro-bomba, com cerca de 100 quilos de explosivos, foi detonado na traseira do coletivo."Eu estava num dos bancos dianteiros lendo um livro. Fui lançado ao teto. Olhei para trás, o ônibus estava em chamas. Não sei como consegui sair dali", disse Michael Yitzhaki. O fogo tomou conta rapidamente do veículo. Uma grande nuvem de fumaça preta cobriu a área, dificultando a aproximação das equipes de resgate."Houve várias explosões secundárias, causadas pela munição carregada pelos soldados", ressaltou Yitzhaki. "Alguns soldados escaparam pelas janelas, mas um grande número de passageiros não teve a mesma sorte. Ficaram presos nas ferragens e morreram queimados." Leoni Gino, um sobrevivente de 17 anos, também escapou pela janela. "Um soldado e outros dois passageiros que estavam na parte traseira do ônibus foram lançados à distância e estavam estirados na estrada", contou ele. "Não sei se estavam vivos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.