Ônibus espacial Atlantis se desprende do Hubble

Os astronautas do ônibus espacial Atlantis desligaram-se do telescópio espacial Hubble hoje, permitindo que o observatório continue sua jornada. O Hubble, que passou por cinco dias de reparos e atualizações, não será mais visto de perto por seres humanos, já que esta foi a última missão da Agência Espacial Norte-americana (Nasa, na sigla em inglês) para ajustes no telescópio.

AE-AP, Agencia Estado

19 de maio de 2009 | 17h46

O ônibus espacial e o Hubble tinham cruzado o oceano Atlântico e viajavam a 560 quilômetros de altitude sobre a costa noroeste da África, quando o astronauta Megan McArthur usou um braço robótico para liberar as braçadeiras que seguravam o telescópio. "O Hubble foi liberado", disse o comandante Scott Altman. Com o telescópio voando sozinho novamente, os sete astronautas esperam pela volta à Terra, prevista para sexta-feira.

Durante cinco dias de caminhadas espaciais, a tripulação do Atlantis, formada por quatro astronautas, instalaram novos equipamentos e consertaram instrumentos, algo nunca feito antes em órbita. Segundo a Nasa, com os reparos, o telescópio de 19 anos terá mais cinco a dez anos de vida. O Hubble deve voltar a funcionar no início do segundo semestre, após uma série de testes.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHubbleAtlantisNasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.