Ônibus espacial Endeavour vai para museu na Califórnia

O ônibus espacial Endeavour está sendo transportado, por terra, para o Centro de Ciência da Califórnia, onde ficará em exibição após ser aposentado pela agência espacial dos Estados Unidos, a Nasa. A passagem da aeronave de 77 toneladas, que é transportada em um reboque gigante com 160 rodas, causa alvoroço nas ruas de Los Angeles, onde centenas de pessoas param para observar e tirar fotos.

AE, Agência Estado

13 de outubro de 2012 | 14h33

A jornada terrestre do Endeavour começou antes do amanhecer de sexta-feira, quando ele saiu do Aeroporto Internacional de Los Angeles. Ao longo de dois dias, o ônibus espacial vai percorrer 19 quilômetros, com uma velocidade máxima de 3 quilômetros por hora, até chegar ao museu de ciência, na noite deste sábado, onde será a principal atração de uma nova exposição.

Janet Dion, um terapeuta que mora na praia de Manhattan, disse que ficou maravilhado com a passagem do Endeavour, cujo exterior resistiu a milhões de quilômetros no espaço sideral ao longo de 25 viagens. "Dá para sentir a magnitude de onde ele esteve", comenta.

Na noite de sexta-feira, o ônibus espacial foi transferido para um reboque mais leve, em uma manobra que levou horas. Por volta da meia-noite, ele começou a cruzar a ponte Manchester Boulevard, na rodovia Interestadual 405, numa das partes mais complicadas do trajeto. O reboque foi puxado pela ponte por uma picape Toyota Tundra e a companhia filmou todo o evento para utilizá-lo depois em um comercial, após pagar para o governo norte-americano para obter a permissão para isso.

A polícia precisou interromper o tráfego na rodovia que passa embaixo da ponte. Além disso, linhas de transmissão de energia tiveram de ser desligadas, deixando quase 400 moradores do bairro Inglewood sem energia. "Nós nunca transportamos algo assim", comentou Jim Hennessy, porta-voz da companhia Sarens, responsável pelo transporte do Endeavour. O custo estimado do transporte é de US$ 10 milhões.

Antes de o ônibus espacial passar, com suas asas que tem uma envergadura de 24 metros, cerca de 400 árvores precisaram ser cortadas ao longo do percurso, cabos de telefone e energia foram elevados e placas de aço foram colocadas em alguns pontos das ruas para proteger o asfalto e as galerias subterrâneas. Não foi possível desmontá-lo para o transporte, pois isso arruinaria algumas peças delicadas.

O mais novo dos ônibus espaciais da Nasa, o Endeavour, substituiu o Challenger, que explodiu durante uma decolagem em 1996, matando sete astronautas. Ele deu a volta na Terra quase 4,7 mil vezes e percorreu cerca de 198 milhões de quilômetros. Seu voo inaugural foi realizado em maio de 1992 e sua última missão ocorreu em maio de 2011.

O nome Endeavour, que em inglês significa "esforço, empreendimento", é uma homenagem ao barco homônimo da Marinha Real Britânica comandado pelo capitão James Cook em sua primeira viagem expedicionária, quando ele descobriu a Austrália e a Nova Zelândia, entre 1769 e 1771. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.