ONU: 20 mil paquistaneses se refugiaram no Afeganistão

Os confrontos entre forças regulares e milícias rebeldes em uma área autônoma tribal do noroeste do Paquistão já forçou mais de 20 mil paquistaneses a buscarem refúgio no Afeganistão, informou hoje o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), em Cabul. Quase 4 mil famílias fugiram da região paquistanesa de Bajur e entraram na província afegã de Kunar, no lado oposto da fronteira, prosseguiu o Acnur por meio de um comunicado.Bajur situa-se no extremo norte da enorme região tribal autônoma do Paquistão, boa parte da qual é controlada por milícias islâmicas radicais contrárias aos governos instalados em Cabul e Islamabad.De acordo com as autoridades paquistanesas, a violência entre soldados e rebeldes em Darfur já obrigou cerca de meio milhão de pessoas a deixarem suas casas. A maior parte delas encontrou abrigo com familiares em outras partes do Paquistão, segundo o governo local. Mas cerca de 100 mil vivem atualmente em abrigos provisórios dentro do país.O Exército paquistanês alega já ter matado mais de mil supostos rebeldes em dois meses de combates em Bajur. As Forças Armadas paquistanesas recusam-se a estimar o número de possíveis mortes entre civis."Somente nas últimas duas semanas, mais de 600 famílias paquistanesas entraram no Afeganistão", informou o Acnur em Cabul. "Apesar de a maioria ter encontrado abrigo junto a familiares e amigos, já há cerca de 200 famílias vivendo ao relento." A direção do Acnur acredita que a maioria desses refugiados retornará ao Paquistão assim que a violência terminar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.