ONU abre inquérito para investigar incidentes em Gaza

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki Moon, determinou a abertura de um inquérito interno para investigar as mortes, ferimentos e prejuízos resultantes do conflito de 50 dias na Faixa de Gaza encerrado em agosto.

MARCELLA FERNANDES, COM INFORMAÇÕES DA ASSOCIATED PRESS, Estadão Conteúdo

10 de novembro de 2014 | 18h07

Em um comunicado realizado pelo porta-voz de Ban, Stéphane Dujarric, o secretário-geral declarou que a investigação vai tratar de "uma série de incidentes específicos em que ocorreram mortes ou lesões", incluindo episódios em escolas administradas pela agência da ONU encarregada de ajudar os refugiados palestinos (UNRWA, na sigla em inglês), que resultaram na morte de numerosos civis e membros da equipe da ONU.

A comissão de inquérito também vai "revisar e investigar incidentes em que as armas foram encontradas nas instalações da ONU". O grupo de cinco integrantes será liderado pelo holandês Patrick Cammaert, ex-conselheiro militar de Ban.

Os conflitos na Faixa de Gaza entre 8 de julho e 26 de agosto destruíram diversos bairros na região, onde mais de 100 mil casas foram destruídas. Os confrontos também deixaram mais de 2.100 palestinos mortos, incluindo 500 crianças, além de mais de 70 israelenses.

Mais conteúdo sobre:
Faixa de GazaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.