ONU achou mais urânio enriquecido no Irã, dizem diplomatas

Diplomatas disseram nesta quinta-feira que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), órgão da ONU para questões nucleares, descobriu novos vestígios de urânio enriquecido no Irã. Os diplomatas, que preferiram não se identificar, afirmaram que o grau de enriquecimento do urânio encontrado no Irã é igual ao necessário à fabricação de armas atômicas. O urânio teria sido encontrado na sede da empresa Kalaye Electric Co., companhia elétrica iraniana. No começo deste ano, os inspetores da ONU encontraram partículas de urânio enriquecido em uma base de tratamento de urânio em Natanz, no Irã. No começo de setembro, a diretoria da AIEA deu ao Irã o prazo de 31 de outubro para provar que suas atividades nucleares não têm finalidades militares. Teerã segue afirmando que seu programa nuclear tem objetivos pacíficos. Se ficar comprovado que o país viola o tratado de não proliferação de armas atômicas, o Conselho de Segurança das Nações Unidas pode ser chamado a intervir. Assim, o Irã pode ser alvo de sanções políticas e econômicas.

Agencia Estado,

25 Setembro 2003 | 11h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.