ONU acusa Gbagbo de saquear alimentos na Costa do Marfim

Forças leais ao líder marfinense Laurent Gbagbo apreenderam caminhões com alimentos que seriam entregues no hotel onde seu rival Alassane Ouattara está sitiado, e permitiram que seus seguidores os saqueassem na quarta-feira, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

REUTERS

12 de janeiro de 2011 | 17h15

A comunidade internacional aponta Ouattara como vencedor da eleição presidencial de novembro no país africano, mas Gbagbo se recusa a deixar o poder, causando uma grave crise política no país.

"A missão da ONU na Costa do Marfim condena o bloqueio e o saque pelas forças de segurança e por civis do campo de Gbagbo do comboio alimentar destinado ao hotel Golf", disseram diplomatas da entidade em nota, acrescentando que a entrega havia sido previamente autorizada por autoridades ligadas a Gbagbo.

"O comboio foi parado por forças de segurança em um posto de controle perto do hotel Golf antes de ser saqueado por apoiadores de Gbagbo", disseram os diplomatas, apontando no incidente uma violação do direito internacional.

O hotel Golf, à beira de um lago na maior cidade marfinense, serve de sede ao governo paralelo montado por Ouattara.

Na terça-feira, três soldados da força de paz da ONU ficaram levemente feridos numa emboscada realizada por forças leais a Gbagbo.

(Reportagem de Tim Cocks)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUGBAGBOACUSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.