ONU acusa governo afegão de 'corrupção generalizada'

O governo afegão, "em muitos casos, não é capaz de fornecer serviços básicos" à população, alertou hoje em Genebra o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Em relatório, o órgão acusou as autoridades do país de "corrupção generalizada". O texto diz ainda que a maior parte dos habitantes do Afeganistão vive em "terrível situação de pobreza", apesar do cálculo de que US$ 35 bilhões tenham ingressado no país entre 2002 e 2009.

AE-AP, Agência Estado

30 de março de 2010 | 14h27

O Acnur também critica a comunidade internacional por dar ênfase demasiada à segurança e dispensar pouca atenção ao desenvolvimento do Afeganistão no longo prazo. Os Estados Unidos invadiram o país no dia 7 de outubro de 2001. Rupert Colville, um porta-voz do Acnur, afirmou em Genebra que muitos afegãos pegaram em armas para sobreviver, alimentando o que qualificou como um "círculo vicioso de guerra e pobreza".

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoONUrelatóriocorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.