ONU acusa Israel de explodir armazém de alimentos para refugiados

O Programa Mundial de Alimentos da ONU divulgou comunicado no qual acusa o Exército de Israel de destruir deliberadamente um armazém contendo alimentos destinados a refugiados palestinos. De acordo com o comunicado, tanques israelenses cercaram o armazém, na cidade de Beit Lahiya, no norte da Faixa de Gaza, no sábado à noite. Soldados verificaram o interior do armazém e depois o destruíram com explosivos, diz a entidade da ONU. O texto acrescenta que no local havia US$ 271 mil em alimentos destinados a 40 mil refugiados palestinos. Em Nova York, o secretário-geral da organização, Kofi Annan, se disse "extremamente preocupado" com o caso e pediu uma investigação. Fontes militares reconheceram que as forças israelenses destruíram o depósito da ONU. Sob condição de anonimato, eles alegaram que o andar superior do edifício era utilizado em "atividades terroristas" e que o Exército "não sabia" que o andar inferior era utilizado como depósito de alimentos. O Exército israelense informou apenas a abertura de um inquérito para apurar o incidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.