ONU: acusação contra Bashi pode prejudicar missão em Darfur

Para Ban Ki-moon, uma possível acusação pode se estender ao 'processo político' de normalização do Sudão

Efe,

14 de julho de 2008 | 06h24

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou temer que a acusação contra o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, tenha "repercussões negativas importantes" na missão de paz em Darfur. Veja também:Sudão poderá condenar presidente al-Bashir Dependência de álcool cresce entre mulheres de Darfur  Em entrevista publicada nesta segunda-feira, 14, pelo diário Le Figaro, Ban afirmou que a influência desta possível acusação se estenderá ao "processo político" de normalização do Sudão. O procurador do Tribunal Penal Internacional (TPI), Luis Moreno Ocampo, pode solicitar nesta segunda uma ordem de detenção contra Bashir, por genocídio e crimes de lesa-humanidade em relação ao conflito de Darfur, que deixou mais de 300 mil mortos. Ocampo deve apresentar nesta segunda em Haia os resultados de sua segunda investigação sobre o conflito de Darfur. Em sua entrevista ao jornal Le Figaro, Ban afirmou que apesar de a possível acusação o preocupar muito, "ninguém está isento de um processo judicial". "A Justiça e a paz deveriam andar de mãos dadas", disse o secretário-geral da ONU, que afirmou que "o processo político no Sudão não pode ser durável sem o respeito dos direitos".

Tudo o que sabemos sobre:
DarfurONUSudão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.