ONU afirma que os hospitais indonésios estão saturados

Os hospitais da ilha de Java estão saturados diante dos milhares de feridos após o terremoto do sábado passado nessa região da Indonésia, informaram nesta quarta-feira as Nações Unidas, acrescentando que já foram atendidas mais de 22 mil pessoas.O Escritório da ONU para a Coordenação de Ajuda Humanitária (Ocha) disse hoje, em comunicado, que todos os hospitais situados nas regiões atingidas pelo terremoto estão saturados, já que muitos feridos perderam suas casas e não têm para onde ir.No total, o terremoto causou danos em 18 centros médicos e 11 unidades de atendimento primário.Por outro lado, o Ocha afirmou que não precisa de mais pessoal sanitário para atender aos feridos, que - segundo os últimos dados - superam os 7.519 (gravemente feridos) e 3.180 (levemente feridos).No comunicado, o órgão humanitário indica que o pessoal médico enviado pelas diversas ONGs e pelas agências da ONU ativas na região estão distribuindo medicamentos em 29 povoações da região de Bantul, a mais atingida pelo terremoto.Sobre a distribuição de material humanitário, o Ocha informou que a Federação da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho distribuiu 310 tendas de campanha em Klaten e 800 em Bantul, enquanto o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) distribuiu 2 mil aparelhos de calefação e o mesmo número de plásticos de proteção.A Cruz Vermelha iraniana também enviou 2 mil cobertores, 500 tendas e 10 mil latas de pescado, entre outros materiais e provisões.Além disso, a organização deve transferir cerca de 10 mil tendas que foram utilizadas em dezembro de 2004 para ajudar os desabrigados do tsunami que devastou as costas de Aceh, outra província indonésia ao norte da ilha de Sumatra.O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) assessora cinco hospitais nos trabalhos de identificação das crianças que estão sem a família.Em relação ao atendimento às crianças, as autoridades sanitárias indonésias iniciaram uma campanha de vacinação contra o sarampo, destinada aos menores de cinco anos que vivem nas regiões atingidas pelo tremor, afirmou a ONU.O Ocha expressou sua preocupação com o forte aumento do custo dos alimentos vendidos na ilha, e disse que esses preços subiram entre 10% e 15% nas cidades.Outro motivo de preocupação são os possíveis deslizamentos de terras nas proximidades do vulcão Merapi, muito próximo à zona do terremoto que causou 5.623 mortos, segundo os últimos dados

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.