ONU ainda tem 5 desaparecidos após atentado na Argélia

Cinco funcionários da ONUpermaneciam desaparecidos nesta quinta-feira, dois dias depoisda explosão que matou outros 11 empregados da entidade emArgel. A ala norte-africana da Al Qaeda assumiu a responsabilidadepelos dois carros-bomba que mataram mais de 30 pessoas na sedelocal da ONU e em um prédio da Justiça. Os militantes disseram ter agido contra "os escravos (dosEstados Unidos) da América e da França". Marie Okabe, porta-voz da Organização das Nações Unidas(ONU), confirmou que até agora há oficialmente 11 mortos e 5desaparecidos. "O número de vítimas pode subir conforme seguem os esforçospara recuperar os corpos", disse ela em Nova York. O administrador do Programa das Nações Unidas para oDesenvolvimento, Kemal Dervis, está na quinta-feira em Argelpara encontrar feridos e parentes dos mortos e para discutir asegurança com o governo. Okabe deu a entender que o secretário-geral Ban Ki-Moon nãoirá a Argel porque a ONU perdeu sua capacidade operacional nopaís devido ao atentado. "Uma visita sob tais circunstâncias, neste momento, seriaextremamente difícil", afirmou ela, acrescentando que Bandecidiu ficar mais tempo que o previsto em Bali, onde ocorre areunião climática da ONU, para estimular as negociações. (Por Claudia Parsons)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.