ONU ajuda a julgar 540 piratas

Condenar piratas não é fácil. É preciso definir a jurisdição correta, pagar pela prisão e pelo julgamento - custo que a ONU pretende arcar. Doadores contribuirão com US$ 9,3 milhões (R$ 16,4 milhões) para ajudar o Quênia e as Ilhas Seychelles a colocar os piratas modernos no banco dos réus. O coordenador da agência antidrogas da ONU, Alan Cole, pediu desculpas pelo trocadilho para referir-se à falta de experiência no tema: "Estamos em águas ainda não navegadas." A maior parte das doações vem de EUA, Canadá, França, Alemanha, Austrália e União Europeia. Há 540 piratas, a maioria somalis, em prisões esperando uma sentença.

, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2010 | 00h00

LOS ANGELES TIMES

Chefes podem bisbilhotar empregados

Para a Suprema Corte dos EUA, um oficial da polícia agiu corretamente ao ler as mensagens picantes de um subordinado à mulher. Como usava equipamento do Estado, seu direito à intimidade não foi considerado.

BBC

Tensão entre Coreias beira a paranoia

Um morador de Ansan, perto de Seul, alertou esta semana forças sul-coreanas que 40 objetos semelhantes a paraquedas caíram perto da casa dele. Uma força de elite achou o inimigo: balões soltos por estudantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.