ONU alerta para aumento de violência 'alarmante' no Afeganistão

Relatório diz que explosões em acostamentos de estradas aumentaram 94% em comparação com o mesmo período de 2009.

BBC Brasil, BBC

19 de junho de 2010 | 08h00

A violência no Afeganistão aumentou de forma dramática nos primeiros quatro meses deste ano, de acordo com um relatório trimestral do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Conselho de Segurança.

De acordo com o documento, as explosões em acostamentos de estradas aumentaram 94% em relação ao mesmo período de 2009.

Em média, foram registradas três explosões suicidas por semana, metade delas no sul do país.

Foram registrados 45% mais assassinatos, com o Talebã e outros grupos sendo cada vez mais bem-sucedidos nos assassinatos de oficiais afegãos.

Ataques suicidas a bomba sofisticados dobraram desde o ano passado para cerca de dois por mês.

"A mudança para ataques suicidas mais complexos demonstra uma capacidade crescente de redes terroristas locais ligadas à Al-Qaeda", disse o relatório.

Sobre as bombas em acostamentos, o documento observou: "O aumento em incidentes envolvendo explosivos improvisados são uma tendência alarmante."

Eleições

As revelações vêm em meio a uma grande ofensiva da Organização dos Países do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na província de Helmand e um aumento do número de soldados americanos no país.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, determinou o envio de mais 30 mil soldados ao Afeganistão em dezembro.

Em fevereiro, a Otan lançou a Operação Moshtarak em Helmand, sua maior ofensiva militar desde que o Talebã foi retirado do poder, em 2001.

O relatório afirma que o aumento da violência é "atribuído a um aumento das operações militares na região sul durante o primeiro trimestre de 2010".

O documento também diz que a situação geral de segurança do Afeganistão "não melhorou" desde o último relatório, em março.

Apesar de tudo isso, a comissão eleitoral afegã conseguiu registrar mais de 2,5 mil candidatos políticos - dos quais 400 são mulheres - para as eleições marcadas para setembro, ressaltou o relatório.

Além disso, tanto a polícia afegã como o Exército estavam um pouco à frente de seus objetivos de aumentar suas tropas para 134 mil e 171,6 mil respectivamente.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.