ONU alerta para crise de refugiados na Colômbia

A crise humanitária na Colômbia passa despercebida enquanto as autoridades concentram-se mais em problemas políticos e no tráfico de drogas, disse um alto funcionário da Organização das Nações Unidas. De dois milhões a três milhões de colombianos viram-se obrigados a abandonar suas casas devido à guerra civil, destacou Kamel Morjane, diretor adjunto do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur).De acordo com ele, a crise colombiana de pessoas desabrigadas é a terceira pior do mundo, atrás apenas de Congo e Sudão. "As pessoas internamente deslocadas são invisíveis nessa crise, não apenas internacionalmente, mas também em Bogotá?, disse. As declarações de Morjane foram feitas a jornalistas em Genebra, Suíça, depois de seu retorno de uma viagem à América do Sul na qual visitou Colômbia e Equador."É normal que todos se concentrem mais no conflito em si, assim como nos vínculos com o narcotráfico. Mas creio que a situação humanitária e suas conseqüências são amplamente ignoradas", comentou. Morjane disse que muitos dos refugiados são pessoas provenientes de povoados rurais do sudeste da Colômbia a quem o governo local presta pouca atenção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.