ONU alerta para risco de ciclo de violência na Venezuela após protestos

Alto comissariado para direitos humanos critica tipificação de terrorismo para prisão de opositores

JAMIL CHADE - CORRESPONDENTE,

14 de fevereiro de 2014 | 08h43

GENEBRA - O Alto-Comissariado para Direitos Humanos da ONU alertou nesta sexta-feira, 14, para o risco de um ciclo de violência na  Venezuela depois de protestos contra o governo terem deixado três mortos, 69 presos e 66 feridos na quarta-feira.

Segundo a ONU, o clima de tensão no país sul-americano é considerado alarmante. "Estamos profundamente preocupados com a violência na Venezuela", declarou Rupert Colville, porta-voz da ONU para Direitos Humanos.

Ontem, a Justiça do país mandou prender três líderes da oposição acusados de incitar os atos contra o governo. Eles são acusados de terrorismo, homicídio, associação para o crime e de incitar os protestos estudantis.

A ONU criticou a classificação de "terrorismo" usado por Caracas para processar os manifestantes. "Pedimos que todos os presos sejam levados aos tribunais ou soltos", declarou Colville. A entidade ainda se diz preocupada com a intimidação contra jornalistas. "Muitos profissionais, locais e estrangeiros, estão sendo alvo de violência, com seus equipamentos confiscados e sem poder trabalhar", disse.

Outro alerta da ONU se refere a grupos com características paramilitares com muita liberdade para atuar, em referência a milícias chavistas armadas acusadas de abrir fogo contra manifestantes.  "Estamos especialmente preocupados com a ação desses grupos armados", disse Colville. "Não está claro quem os apoia. Mas podemos dizer que eles estão tendo liberdade excessiva para atuar."

A entidade também denuncia o fato de que menores detidos pelas forças de ordem na Venezuela não estão tendo contatos com advogados. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.