ONU anuncia investigação sobre cólera no Haiti

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, anunciou na sexta-feira a criação de uma comissão independente para investigar a epidemia de cólera no Haiti, diante das acusações feitas por haitianos de que a doença foi trazida por soldados do Nepal.

REUTERS

17 de dezembro de 2010 | 19h38

Mais de 91 mil pessoas contraíram a doença desde outubro, e mais de 2.000 morreram. No mês passado, manifestantes apedrejaram uma patrulha da ONU e gritaram palavras de ordem acusando a missão internacional de paz de ter causado a epidemia.

Pesquisadores dos EUA disseram na semana passada que a cepa do cólera em circulação no Haiti é proveniente do sul da Ásia, e muito semelhante à que existe em Bangladesh. A ONU diz que não há comprovação científica de que o batalhão nepalês seja responsável, e diz que todos os exames nesses soldados deram resultado negativo.

Mas as acusações persistem, e Ban afirmou a jornalistas que "restam dúvidas e preocupações legítimas que exigem a melhor resposta que a ciência puder oferecer".

Ele disse que a criação da comissão foi decidida em conjunto com a Organização Mundial da Saúde e que seus membros serão "completamente independentes e terão pleno acesso a todas as instalações e a todo o pessoal da ONU".

Ban acrescentou que há várias teorias sobre a origem da epidemia de cólera no Haiti, e que "nem todos os relatos chegaram à mesma conclusão."

(Reportagem de Patrick Worsnip)

Tudo o que sabemos sobre:
ONUHAITICOLERA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.