ONU aprova envio de mais 300 observadores à Síria

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou por unanimidade neste sábado uma resolução que permite o envio de mais 300 observadores não armados à Síria. Por meio da resolução 2043, os observadores serão enviados pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, caso ele decida que a missão é de fato segura.

AE, Agência Estado

21 de abril de 2012 | 14h03

Os enviados de diversos países do Ocidente destacaram os riscos de mandar os monitores à Síria, pois a violência no país permanece desde um cessar-fogo de 12 de abril.

"O posicionamento estratégico dos primeiros dez observadores na Síria não mudou o comportamento assassino do regime", comentou o embaixador da França na ONU, Gerard Araud, acrescentando que o presidente Bashar al-Assad manifestou "desdém" em relação à medida das Nações Unidas.

No entanto, o embaixador da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, cujo país representou um papel de liderança no desenvolvimento da resolução, afirmou ao conselho que "essa resolução é de importância fundamental para conduzir o processo de solução pacífica na Síria".

Os Estados Unidos e o Reino Unido foram contrários ao patrocínio conjunto à resolução, pois têm dúvidas sobre o futuro da missão. Entre os europeus, França e Alemanha decidiram a favor, e a Rússia manifestou apoio ao plano de paz do enviado da Liga Árabe das Nações Unidas, Kofi Annan.

Além dos observadores militares, especialistas civis serão enviados à Síria para oferecer recomendações sobre questões políticas e de segurança pública. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaconflitoONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.