ONU aprova medidas para barrar avanço do terrorismo

A ONU também ameaçou intensificar as restrições contra os que apoiam grupos terroristas

Estadão Conteúdo

15 de agosto de 2014 | 20h25

Respondendo à crescente ameaça terrorista no Iraque e na Síria, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) impôs sanções contra seis homens suspeitos de recrutar e financiar combatentes estrangeiros. A ONU também ameaçou intensificar as restrições contra os que apoiam grupos terroristas.

Em uma resolução adotada de forma unânime, o conselho exigiu que os militantes do Estado Islâmico e todos os grupos ligados à Al-Qaeda deem fim à violência, se desarmem e se dispersem imediatamente. O texto "representa a completa rejeição da comunidade internacional a todos esses grupos terroristas e expressa sua determinação de responder", disse o embaixador britânico, Mark Lyall Grant, após seu voto.

Os seis alvos da ação agora estão proibidos de viajar para outros países. Quatro deles, que ou recrutaram ou ajudaram a financiar o grupo terrorista al-Nusra, tiveram seus bens congelados. São eles Abdelrahman Mouhamad Zafir al Dabidi al Jahani, Hajjaj Bin Fahd Al Ajmi, Said Arif e Abdul Mohsen Abdallah Ibrahim al Charekh.

Outro suspeito, Hamid Hamad Hamid al-Ali, foi colocado na lista negra por ajudar a financiar tanto a al-Nusra como o Estado Islâmico. O último acusado, Abou Mohamed al Adnani, ajudou a financiar e perpetrou atos do Estado Islâmico.

A resolução foi aprovada após a recente ofensiva do grupo extremista Estado Islâmico, que tem tomado controle de grande parte do leste da Síria e do noroeste do Iraque. Os insurgentes brutalizaram civis e forçaram centenas de milhares de pessoas a fugirem de suas casas, impulsionando a atividade terrorista de outros grupos ligados à Al-Qaeda, incluindo a Jabhat al-Nusra, na Síria. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.