ONU autoriza força africana a enfrentar Al Qaeda no Mali

Os 15 países do Conselho de Segurança da ONU aprovaram por unanimidade na quinta-feira a autorização para que uma força internacional africana colabore no combate a militantes islâmicos da Al Qaeda e de outros grupos no norte do Mali.

Reuters

20 de dezembro de 2012 | 21h44

A resolução, de autoria francesa, autorizou também os 27 países da União Europeia e outras nações a colaborarem com a reconstrução das forças de segurança malinesas, que devem ser assistidas pela força internacional africana durante uma operação no norte do Mali que só deve começar depois de setembro de 2013.

A adoção da resolução foi resultado de um acordo que encerrou semanas de discordâncias entre os EUA e a França a respeito de como lidar com o problema do Mali, onde insurgentes da Al Qaeda controlam desde março vastas regiões.

A resolução autoriza a mobilização, inicialmente por um ano, de uma missão de intervenção que será conhecida pela sigla Afisma, com até 3.300 soldados. O texto não estabelece de onde virá a verba para a missão.

(Por Louis Charbonneau)

Mais conteúdo sobre:
ONUMALIFORCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.