ONU: Ban defende tratado sobre comércio de armas

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, conclamou os países do mundo a entrarem em acordo nas próximas duas semanas sobre um tratado internacional capaz de regular o multibilionário comércio global de armas.

Agência Estado

18 de março de 2013 | 13h40

Segundo Ban, o tratado tem a intenção de dificultar o acesso a armas a senhores da guerra, grupos criminosos organizados e extremistas.

A expectativa de acordo acabou adiada em julho do ano passado, quando os Estados Unidos alegaram precisar de mais tempo para analistas o acordo. Rússia e China aproveitaram para pedir mais tempo também. Em dezembro, a Assembleia Geral da ONU estabeleceu o dia 28 de março como prazo final para a obtenção de um acordo.

Hoje, Ban abriu a conferência da ONU sobre o Tratado Internacional de Comércio de Armas declarou: "Agora é o momento de superar os reveses do passado e mostrar resultado". As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.