ONU: cocaína cresce nos países em desenvolvimento

A Organização das Nações Unidas (ONU) informou hoje que o consumo de drogas no mundo está passando por mudanças. Em seu relatório anual, a ONU descobriu que a demanda por cocaína e heroína caiu em países desenvolvidos, mas aumentou nas nações em desenvolvimento. Além disso, cresceu a produção de coca e de ópio em Mianmar e no Peru, ao mesmo tempo em que houve declínio de Colômbia e Afeganistão, os maiores produtores.

AE-AP, Agência Estado

23 de junho de 2010 | 17h10

Embora a produção de ópio no Afeganistão continue alta - equivalente a 89% do produzido no mundo - a produção de papoulas pode cair em até um quarto neste ano em razão de um fungo que atingiu as maiores áreas de cultivo. Enquanto isso, a produção de coca nos Andes, que caiu 28% na última década, continuou a cair principalmente em razão dos esforços de erradicação na Colômbia. Já a produção de coca no Peru cresceu pelo quarto ano consecutivo, aponta o documento, quase dobrando nos últimos dez anos.

Enquanto o uso de cocaína e heroína cai, o relatório concluiu que o abuso de estimulantes e drogas vendidas com prescrição média subiu em todo o mundo. Além disso, seu uso excedeu o consumo combinado de cocaína e de opiáceos. "As pessoas estão dizendo adeus à heroína e não estão muito encantadas pela cocaína, mas estão começando a usar drogas com prescrição médica em volumes que as tornam viciadas", disse Antonio Maria Costa, diretor executivo do escritório para drogas da ONU.

Mais preocupante, disse Costa, é que enquanto a demanda por cocaína e heroína se estabilizou no Ocidente, ela aumentou no leste da Ásia e na África, em países que têm poucos recursos ou infraestrutura para lidar com a questão. "Como resultado, há agora o risco de um sério problema de saúde pública em países em desenvolvimento que pode escravizar uma quantidade enorme de pessoas para a miséria da dependência das drogas."

Tudo o que sabemos sobre:
drogasONUrelatóriococaína

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.