ONU começa a levar ajuda humanitária ao Iraque

A primeira leva de ajuda humanitária oferecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) entrou no Iraque pelas fronteiras da Turquia e do Kuwait, informaram agências humanitárias ligadas à entidade internacional. No entanto, funcionários da ONU comentaram que algumas agências humanitárias e os militares norte-americanos continuam cautelosos com relação ao trabalho de ajuda aos iraquianos necessitados, em virtude da guerra.Três caminhões com leite em pó atravessaram a fronteira provenientes da Turquia e foram descarregados na cidade iraquiana de Dohuk no sábado, informou hoje o Programa Mundial de Alimentação da ONU."Estamos nos preparando para levar farinha ao norte do Iraque no fim desta semana", comentou Khaled Mansour, porta-voz do Programa Mundial de Alimentação em Amã, capital da Jordânia.Durante os anos de sanções econômicas da ONU contra o Iraque, o Programa Mundial de Alimentação dirigiu um trabalho de distribuição de comida no norte do Iraque.Ele disse acreditar que os habitantes das três províncias curdas do norte do Iraque necessitem mais urgentemente da ajuda do que a população das áreas controladas por Bagdá.Segundo Mansour, antes da guerra, os habitantes das áreas curdas recebiam comida para apenas um mês. Os iraquianos de outras partes recebiam mensalmente o dobro da quantidade nos meses que antecederam o conflito.Hoje, no extremo sul do Iraque, os primeiros três veículos com água distribuída pela ONU passaram pela fronteira do Kuwait e foram descarregados em Umm Qasr, disse Geoff Keele, porta-voz do Unicef.Porém, outros 10 veículos não conseguiram atravessar a fronteira com o Kuwait, aparentemente devido a documentação inadequada. Em alguns casos, os motoristas contratados não consideraram seguro entrar no Iraque, esclareceu Keele.O porta-voz do Unicef disse ainda que dois caminhões enviados pela entidade com remédios e outros suprimentos aguardavam autorização na fronteira com a Turquia para entrar em solo iraquiano.Segundo Mansour, a entrega do leite em pó atrasou alguns dias, à espera da autorização turca.O maior obstáculo, no entanto, ainda é o perigo de se viajar pelas estradas iraquianas.Nesta segunda-feira, dois caminhões com ajuda enviada por doadores particulares gregos deixaram Amã com destino a Bagdá com 33 toneladas de remédios, comida, leite em pó e cobertores.Um comboio do governo jordaniano e um caminhão com ajuda de doadores particulares argelinos entrou hoje no Iraque com 130 toneladas de medicamentos.Enquanto isso, militares norte-americanos e britânicos continuavam a entrega de ajuda com a intenção de "conquistar os corações e as mentes" dos iraquianos em favor das forças de invasão.Apesar de as agências da ONU continuarem em contato com os comandos militares no Kuwait, não há notícias de progresso no que diz respeito às negociações sobre a transferência para a ONU da responsabilidade sobre as missões de ajuda humanitária."Os doadores não querem estar associados à invasão norte-americana. Os militares, por sua vez, querem ser vistos como aqueles que ajudam os iraquianos", reclamou um funcionário da ONU. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.