ONU compara Swat com Ruanda

Com cerca de 2 milhões de refugiados internos desde o ano passado, o Paquistão pode se tornar o cenário da maior catástrofe humana em termos de deslocamento forçado de civis desde o genocídio de Ruanda, em 1994, quando 2 milhões de pessoas deixaram suas casas. A comparação foi feita ontem pelo porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur), Ron Redmond, em Genebra, e revela a preocupação da organização com o destino dos milhares de civis que fogem do Vale do Swat, na fronteira com o Afeganistão, onde forças do governo paquistanês e rebeldes do Taleban se enfrentam em combates abertos desde o dia 26.O número de refugiados chegou a 1,45 milhão na segunda-feira, segundo as Nações Unidas. Mas o número de deslocados civis é ainda maior, pois no ano passado 550 mil pessoas deixaram a região. Do total, 48% são crianças. A morte de civis, entretanto, não passa de algumas dezenas, segundo o governo paquistanês. Para abrigar as famílias, o Acnur ergueu 24 acampamentos e uma estrutura mínima de saneamento.

AP, O Estadao de S.Paulo

20 de maio de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.