ONU concede imunidade judicial a militares americanos

O Conselho de Segurança da ONU aprovou um ano de imunidade frente ao Tribunal Internacional de Crimes de Guerra para os militares dos Estados Unidos que atuam nas forças de paz. A medida foi aprovada com oposição da França, Alemanha e Síria. França e Alemanha não exerceram seu direito de veto sobre as decisões do Conselho, mas abstiveram-se de votar, assim como a Síria.O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, fez um discurso forte contra qualquer isenção permanente, o que era o objetivo inicial dos EUA. Ele disse que esse tipo de exceção enfraqueceria não só o Tribunal Internacional, mas a autoridade do Conselho de Segurança e a própria credibilidade das missões de paz das Nações Unidas.A resolução, aprovada por votação de 12 a zero e três abstenções, autoriza uma imunidade de um ano, contra prisão e julgamento, para soldados das forças de paz que sejam cidadãos de países que não ratificaram o Tratado de Roma, que criou o Tribunal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.