ONU convoca reunião de emergência sobre fome na África

Encontro é agendado para segunda-feira, na Itália; nordeste africano sofre com a seca

Reuters

21 de julho de 2011 | 10h34

Somalis aguardam vez em ponto de distribuição de alimentos em Mogadíscio.

 

ROMA - A Organização das Nações Unidas (ONU) convocou uma reunião emergencial para segunda-feira para discutir o envio de ajuda para regiões assoladas pela seca no leste da África, inclusive para duas regiões da Somália onde foi declarada situação de fome crítica.

Todo o nordeste africano, inclusive Quênia e Etiópia, sofre há anos com uma grave seca, e a ONU disse que duas regiões do sul da Somália estão passando pela pior onda de fome em 20 anos, ameaçando 3,7 milhões de pessoas.

A FAO (agência da ONU para alimentação e agricultura) disse que a reunião extraordinária na sua sede, em Roma, terá a presença de ministros e outros representantes dos seus 191 países filiados, além de outras agências da ONU, ONGs e bancos regionais de desenvolvimento. A reunião foi convocada a pedido da França, que atualmente preside o G20 (grupo de grandes economias desenvolvidas e emergentes).

A ONG britânica Oxfam acusou na quarta-feira vários governos europeus de negligenciarem propositalmente a reação à crise, e disse que há um déficit de 800 milhões de dólares na ajuda humanitária.

A situação ficou mais grave na Somália devido aos sucessivos anos de anárquico conflito no país, que impede o acesso de agências humanitárias às comunidades da região. Quase 135 mil somalis já fugiram do país desde janeiro, a maioria para o Quênia e a Etiópia, e muitas crianças pequenas morreram durante a jornada.

Militantes islâmicos ligados à Al-Qaeda, que controlam grande parte do sul e centro da Somália, proibiram a distribuição alimentar em 2010, alegando que isso causaria dependência em relação à comunidade internacional, mas revogaram a medida neste mês, devido ao agravamento da situação.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUÁfricafomeSomáliaFAO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.